Os empresários portugueses indicam a falha dos mecanismos financeiros como o principal risco para o desenvolvimento da sua actividade ao longo dos próximos dez anos.

Assim o indica o relatório Riscos Regionais dos Negócios 2018, elaborado pelo Fórum Económico Mundial em colaboração com o grupo Zurich e a Marsh & McLennan Companies.

O relatório foi elaborado a partir da consulta de 12 mil decisores empresariais, de 130 países, que responderam ao desafio de identificar os cinco riscos que mais poderão afectar o desenvolvimento dos negócios, nos seus países, nos próximos dez anos.

Em Portugal, para além da falha dos mecanismos financeiros, os empresários apontaram também como principais riscos: as possíveis falhas de governação do Estado, as bolhas de activos, os fenómenos climáticos extremos e os choques provocados pelos preços da energia.

A nível global, o principal risco identificado é o desemprego/subemprego, seguido de dois riscos também identificados pelos inquiridos portugueses: as falhas de governação dos Estados e os choques provocados pelos preços da energia.

Três circunstâncias que poderão estar relacionadas com o aumento das tensões políticas e económicas, apesar do desemprego/subemprego não ser sequer um dos dez principais riscos apontados pelos inquiridos da América do Norte, em contraciclo com o resto do mundo.

 

Comments are closed.