Sete anos volvidos sobre o seu lançamento, o Mob Carsharing da Carristur, em Lisboa, foi suspenso por falta de clientes.

Mob Carsharing

“Ao longo de sete anos de actividade a empresa empreendeu todos os esforços, e promovemos diversas iniciativas, para que o conceito de carsharing se desenvolvesse e proliferasse. No entanto, a mudança de hábitos é um processo complexo e demorado, em particular quando estes hábitos estão associados a ideais de conforto e status, como é o caso da utilização do carro particular”, justificou à “Lusa” uma fonte da Transportes de Lisboa (que agrega Carris, Metro e Transtejo).

O Mob Carsharing era um serviço de aluguer de automóveis à hora que permitia aos clientes reservar um veículo através da internet ou do telefone e tê-lo disponível no minuto seguinte.O serviço permitia aos clientes andar com o carro em Portugal e Espanha e, para se tornar atractivo, tinha estacionamento grátis por quatro horas em lugares na via pública da EMEL.

O projecto foi lançado pela Carristur, à qual a EMEL – Empresa Municipal de Mobilidade e Estacionamento de Lisboa se associou posteriormente.

Ao longo dos sete anos de actividade, recorreram ao Mob Carsharing 350 clientes, entre particulares (230) e empresas (120).

Numa resposta por escrito, a fonte da Transportes de Lisboa disse ainda que a manutenção daquela oferta no mercado “implicaria investimentos elevados”, pelo que a Carristur optou por suspendê-la e investir em outras áreas de negócio.

Contudo, a empresa admite que pode reavaliar a retoma daquela oferta, no futuro, “caso se reúnam as devidas condições”.

 

 

 

Comments are closed.