A SM Shipping, acabada de criar para assumir operações da Hanjin Shipping, arrisca falhar o arranque em Março, por falta de contentores no mercado…

Hanjin

A nova companhia não poderá contar com os contentores da Hanjin (que chegaram a ser 530 mil), uma vez que foram devolvidos às empresas locadoras ou estão retidos um pouco por todo o mundo, por conta do pagamento das dívidas.

Segundo os analistas, a SM Shipping precisará de cerca de 90 mil contentores para manter os serviços Ásia-América do Norte e intra-Ásia.

“Planeamos comprar contentores em segunda mão para iniciar as operações no Ásia-América do Norte, e gradualmente acrescentar mais para as outras rotas”, garantem da SM Shipping.

Ainda neste primeiro semestre, a companhia do SM Group (que também controla a Korea Line) pretende atingir uma frota de 12 navios. Entre eles estarão cinco unidades de 6 555 TEU que eram da Hanjin Shipping, segundo os media internacionais.

A SM Shipping estará igualmente interessada na compra de terminais asiáticos que foram da Hanjin.

Os planos da SM Shipping são ambiciosos, a avaliar por uma recente conferência de imprensa do seu CEO.

O objectivo é chegar aos 835 milhões de dólares de receitas no final de 2018 e triplicar aquele montante num horizonte de cinco anos, disse Kim Chil-bong.

“Em 2018, estaremos a operar com 21 navios em 12 rotas.Nos próximos cinco anos, teremos 41 navios em 25 rotas”, acrescentou.

Comments are closed.