A Associação de Construtores Europeus de Automóveis (ACEA) diz que faltam milhares de postos de abastecimento de combustíveis alternativos para camiões na Europa.

A ACEA publicou dados sobre o que diz ser “a grave falta de infra-estruturas de recarregamento e reabastecimento para camiões eléctricos e outros motores alternativos em toda a UE”. O aviso surge numa altura em que p Parlamento Europeu, os 28 governos nacionais e a Comissão Europeia estão em negociações para as primeiras metas de CO2 da Europa para camiões.

A associação europeia indica que, “de acordo com estimativas conservadoras”, serão necessários pelo menos 6 000 pontos de carregamento de alta potência (superior a 500 kW) para camiões eléctricos ao longo das auto-estradas da UE em 2025/2030.

Além disso, outros 20 000 pontos de carregamento “normais” compatíveis com camiões serão necessários – elevando o total para 26 mil, de acordo com a ACEA.

A associação acrescenta que as estações de abastecimento de hidrogénio para veículos ligeiros não são adequadas para camiões, já que o armazenamento de pressão é muito baixa para a necessidade dos pesados.

A ACEA defende que cerca de mil estações de hidrogénio específicas para camiões são necessárias até 2025/2030, mas menos de dez estão disponíveis em toda a UE actualmente e “nenhuma é adequada para camiões de longo curso”.

Quanto a postos de abastecimento público para camiões a gás natural comprimido (GNV) e gás natural liquefeito (GNL), já existem em alguns Estados-membros, mas “a sua distribuição ainda é muito desigual na Europa e o número de estações permanece baixo”, segundo a associação.

“A ACEA apoia totalmente que se chegue a acordo sobre os novos limites de CO2 para camiões, mas instamos os decisores a assegurarem que as metas sejam alcançáveis ​​na prática”, sublinhou Erik Jonnaert, secretário-geral da ACEA.

 

 

Os comentários estão encerrados.