O porto de Felixstowe ainda poderá demorar mais dois meses até regressar à normalidade, após a conturbada implementação, no mês passado, de um novo sistema informático no terminal de contentores, segundo uma fonte interna do porto britânico.

A mesma fonte, citada pelo “The Loadstar”, descreve a situação em Felixtowe como um “caos absoluto”, com a necessidade de inserir dados de forma manual, reduzindo a produtividade para cerca de 50%.

“Trabalhar os navios é o maior problema”, indica, acrescentando que, por vezes, os navios “nem mesmo são capazes de carregar vazios”.

Aquele que é o maior porto de contentores do Reino Unido pode, aliás, segundo a mesma fonte, ter em breve um problema de congestionamento, dado que o número de contentores vazios depositados está a aumentar.

Fonte de uma companhia afectada referiu ao “The Loadstar” que a situação em Felixstowe está “uma lotaria total”. “Às vezes pode estar tudo bem, outras vezes um pesadelo”, afirmou.

Os problemas em Felixstowe têm feito com que vários armadores optem por desviar os seus navios para os terminais da DP World de London Gateway e Southampton, enquanto outras companhias descarregaram as cargas destinadas ao Reino Unido nos portos na Europa Continental para serem, depois, transportadas por navios feeder.

 

 

Os comentários estão encerrados.