Nos primeiros seis meses do ano, a Fernave aumentou em 90% o seu volume de negócios e com isso atingiu praticamente o break-even operacional.

Entre Janeiro e Junho, a empresa do grupo CP especializada na formação em transportes facturou perto de um milhão de euros, com a actividade internacional a “crescer 50%”, avançou ao TRANSPORTES & NEGÓCIOS uma fonte da empresa.

Os mercados de Angola e Moçambique – com especial incidência no sector ferroviário – garantiram 30% do crescimento da facturação, enquanto a conquista de novos clientes e a diversificação da oferta formativa em Portugal asseguraram os restantes 70%.

O aumento das receitas e a contenção de custos permitiu à Fernave atingir no primeiro semestre um resultado operacional “praticamente equilibrado”. Para o final do exercício, a previsão é alcançar “um EBITA positivo ou próximo do zero”, acrescentou a mesma fonte.

 

Os comentários estão encerrados.