Lançado no ano passado e “herdeiro” do PETI 3+, o Ferrovia 2020 tarda em sair do papel. Com investimentos previstos de 2,7 mil milhões de euros em cinco anos, estão no terreno obras no valor de 58 milhões de euros.

Linha do Douro - Marco de Canaveses

A modernização da Linha do Minho entre Nine e Viana do Castelo, da Linha do Douro entre Caíde e Marco de Canaveses, e da Linha do Norte entre Pampilhosa e Alfarelos são as principais obras em curso, de acordo com o comunicado da Infraestruturas de Portugal (IP).

Ainda este ano, adianta a gestora das infra-estruturas, deverão ser lançados concursos, ou ser mesmo consignadas, obras no montante de mais 184,5 milhões de euros.

Ainda até Março deverão ser concursadas as empreitadas do Elvas-Caia, num investimento de 18,5 milhões de euros, e da modernização do Viana do Castelo-Valença, num montante de 23 milhões de euros.

Mais para o final do ano. algures no quarto trimestre, está prevista a consignação da obra de modernização do troço Covilhã-Guarda da Linha da Beira Baixa (incluindo a ligação à Linha da Beira Alta), com valor base de 65 milhões de euros.

Em projecto estão a modernização da Linha do Algarve (32 milhões de euros) e da Linha do Douro entre o Marco de Canaveses e a Régua (46 milhões de euros).

O Ferrovia 2020 prevê investimentos de 2,7 mil milhões de euros, na modernização de 900 quilómetros de vias existentes e na construção de 200 quilómetros de novas linhas.

Os investimentos deverão ser fortemente alavancados por fundos comunitários, desde logo do CEF. Ainda agora, na recente chamada, Portugal candidatou mil milhões de euros a apoios à ferrovia, com destaque para a ligação Aveiro-Mangualde.

This article has 1 comment

  1. É a incompetência do desgoverno das esquerdas no seu pior, seja no AR (o ministro ainda ainda não deu aval à DHL para esta ampliar o seu HUB logístico e ainda não se sabe se o Montijo vai ser o local escolhido para a expansão do novo terminal de passageiros), seja no MAR (a ministra ainda não renegociou nehuma das conçesões portuárias), seja na ferrovia em que os investimentos estão quase parados, que vergonha !!!