Portugal candidatou 30 projectos à terceira chamada do CEF (Mecanismo Interligar Europa), num investimento total de 1,2 mil milhões de euros. Mil milhões destinam-se à ferrovia.

Ramal do porto de Aveiro

 

Nesta chamada do CEF, a primeira que combinará os fundos do Mecanismo com os do Plano Juncker, Portugal candidata-se a um co-financiamento comunitário de 826 milhões de euros, correspondente a uma taxa média de comparticipação de 69%.

Dos 1.2 mil milhões de euros candidatados, 1,14 milhões respeitam a investimento público, o que decorre da forte aposta na ferrovia. São cinco projectos, que concentram cerca de mil milhões de euros, com destaque para a ligação Aveiro-Mangualde

Sem surpresas, a ferrovia tem reservada a “parte de leão”, apesar de congregar apenas cinco candidaturas. Destacam-se a nova linha Aveiro-Mangualde e a segunda fase da ligação Évora-Caia, além da modernização da linha de Sines e a melhoria da linha de acesso ao porto de Leixões.

Do sector marítimo-portuário contam-se quatro candidaturas, num investimento global de 97 milhões de euros. Na rodovia contam-se cinco projectos e 36 milhões de euros (incluindo a ligação da A25 à fronteira de Vilar Formoso). E o transporte aéreo candidata oito projectos, num valor conjunto de 14 milhões de euros.

Das 30 candidaturas nacionais, cinco foram apresentados CEF Coesão (reservado aos países elegíveis para o Fundo de Coesão) e as restantes ao CEF Geral. Em ambos os casos, os projectos são aprovados pelo seu mérito, em disputa aberta, sem contingentes nacionais.

 

Comments are closed.