A BAA, controlada pela Ferrovial, solicitou à Comissão para a Concorrência britânica a revogação da ordem de venda do aeroporto de Stansted e de um aeroporto escocês, alegando a mudança de cenário no negócio aeroportuário no Reino Unido.

No relatório que terá entregue hoje mesmo em Londres, a gestora aeroportuária britânica lembrará o facto de a Ferrovial estar a negociar a venda de uma posição minoritária na empresa.

Em Outubro passado a empresa espanhola avançou com um processo para “a eventual transmissão de uma participação minoritária” do capital da BAA. A Ferrovial informou então a Comissão Nacional do Mercado de Valores (CNMV) espanhola que inicialmente está pensada a venda de 10% do capital da FGP Topco, a empresa que controla a BAA.

Indirectamente, a Ferrovial controla 55,87% da BAA. A Britania Airport Partners detém 26,48% e a GIC os restantes 17,65%.

Em 2008, a Comissão de Concorrência decidiu que para melhorar a competitividade nos aeroportos britânicos a BAA teria de vender vender das instalações aeroportuárias que gere: duas em Londres, Gatwick e Stansted, e uma na Escócia (Edimburgo ou Glasgow).

Tal decisão deu início a uma batalha legal, com vitórias e derrotas para ambas as partes. Em Outubro do ano passado, a BAA acordou a venda do aeroporto londrino de Gatwick à Global Infrastructure Partners, por 1,51 mil milhões de libras, cerca de 1,65 mil milhões de euros. Mas nem isso demoveu a Autoridade da Concorrência britânica.

Os comentários estão encerrados.