O encerramento das fronteiras no Espaço Schengen ameaça a cadeia de fornecimento na Europa e provocará prejuízos elevadíssimos à economia europeia, avisa a fundação alemã Bertelsmann.
Schengen - fronteiras

Um estudo daquela instituição indica que as restrições que se estão a impor ao fluxo de mercadorias no Velho Continente obrigará as empresas a aumentarem os stocks de produtos para fazerem frente ao alargamento dos prazos e à menor fiabilidade das entregas.

O estudo da fundação Bertelsmann mostra que a reintrodução de fronteiras entre os estados-membros da União Europeia acarretará maiores custos laborais e de produção, com reflexos nos preços. “Quando os preços sobem, a procura dos consumidores diminui e as empresas tornam-se menos competitivas nos mercados internacionais, o que também diminui as exportações”, refere.

“O resultado é um menor crescimento económico”, conclui.

A análise antecipa dois dois cenários de aumento de custos na próxima década, resultado de um eventual encerramento das fronteiras na União Europeia. O cenário mais optimista antevê um aumento de 1% nos preços de importação, o que representará custos de 470 mil milhões de euros. No cenário mais pessimista, os custos para a União Europeia ascenderão a 1,4 biliões de euros na próxima década.

 

 

 

Comments are closed.