A Fitch decidiu manter o outlook negativo para o sector do transporte marítimo de mercadorias em 2017.

Solas - Contentores

A agência de notação considera que o sector voltará a sofrer com o baixo crescimento da procura, o que sublinhará os efeitos da sobrecapacidade da oferta. A Fitch prevê, por isso, que no próximo ano se manterá a pressão sobre os preços médios dos fretes, aumentando os incumprimentos e potenciando mais fusões e aquisições.

A Fitch espera que todos os segmentos no transporte marítimo de mercadorias estejam sob pressão em 2017. A agência prevê, ainda assim, que os navios-tanque deverão sofrer menos do que os de granéis sólidos e os de contentores.

O colapso, no fim de Agosto, da Hanjin Shipping terá ramificações mais vastas, ainda de acordo com a Fitch. Em particular, poderá registar-se uma fuga dos credores, levando a reavaliações de financiamentos. A agência de notação financeira avisa que os incumprimentos e fusões e aquisições que daí resultarão só terão efeitos positivos de longo prazo se o sector tomar medidas de redução da capacidade.

A Fitch prevê que a consolidação abrangerá todo o tipo de companhias no segmento do transporte de contentores, com as mais pequenas a focarem-se no aumento de escala e as de maior dimensão a tratarem de defender ou aumentar quotas. Naturalmente, os incumprimentos deverão ter mais incidência em companhia com fraca liquidez e dificuldades de financiamento bancário.

 

 

 

 

Tags:

Comments are closed.