Pierre Blayau, CEO da SNCF Geodis, reafirmou em Paris o objective de fazer regressar a Fret SNCF aos resultados positivos em 2013.

No ano passado, a divisão de carga do operador ferroviário público gaulês registou perdas de mais de 500 milhões de euros.

A SNCF Geodis e a Fret SNCF estão a desenvolver uma rede pan-europeia de comboios de mercadorias, sob a marca Captrain, e já terão ganho dois importantes contratos, um dos quais visa o transporte de componentes automóveis para o construtor automóvel PSA, entre as unidades de Vesoul, no Leste de França, e Kaluga, na Rússia, numa distância de três mil quilómetros.

Com a aposta no mercado europeu, a Fret SNCF espera atingir em 2011 a marca dos 40 mil milhões de toneladas-km, o que representará o regresso ao nível de 2007, antes da crise. Os tráfegos internacionais deverão representar 25% daquela produção global, contra os 5% registados em 2007.

Entretanto, e no âmbito da reestruturação da oferta do operador público francês, Pierre Blayau anunciou que cerca de 80% dos clientes já terão aderido ao novo serviço multi-cargas/multi-cliente, a ser lançado no próximo ano e que substituirá a oferta convencional da Fret SNCF, apontada como responsável por 70% das perdas da divisão nos últimos anos.

A Fret SNCF promete aumentar a qualidade do serviço prestado e manter os preços praticados na maioria dos tráfegos.

A companhia pública espera ainda melhorar o serviço em resultado de um acordo firmado com a RFF (a homóloga local da Refer) sobre a concessão de horários de circulação nos principais eixos ferroviários gauleses.

A Fret SNCF pretende igualmente estar na linha da frente na utilização dos primeiros corredores ferroviários dedicados ao tráfego de mercadoras, prometidos para dentro de três anos.

Comments are closed.