Os preços do transporte rodoviário de mercadorias na Europa voltaram a degradar-se no terceiro trimestre, tradicionalmente um período de subida dos fretes.

Os dados são do Transport Market Monitor, elaborado pela Transporeon e pela Capgemini Consulting. Entre Julho e Setembro, os preços do transporte rodoviário de mercadorias caíram 2,6% face ao nível do trimestre imediatamente anterior.

Uma evolução que os consultores consideram surpreendente, uma vez que historicamente os preços de transporte sempre sobem neste trimestre. Desta feita, porém, caíram em Julho e Agosto e só subiram em Setembro – mas não foi suficiente.

Ao mesmo tempo, o índice de capacidade, que mede a relação entra a oferta e a procura de transporte aumentou 14,9% relativamente ao trimestre anterior. Um factor que contribuiu decisivamente para a degradação dos fretes.

No mesmo sentido foi a variação negativa, em 0,7%, do preço médio do gasóleo no período em análise. Uma baixa logo repercutida no preço final do transporte (o que nem sempre acontece quando o movimento é de alta), o que também reflecte a dificuldade dos operadores em refazerem as margens face à reduzida procura.

Por cá, o excesso de oferta de capacidade é também notório face à diminuição da procura. Em resultado disso, muitos transportadores têm camiões parados e muitos outros, cada vez mais segundo a Antram, estão a falir.

No caso português a situação é agravada pela crise que o País atravessa e também pelo continuado do preço do combustível. Desde o princípio do ano, a subida acumulada já supera os 20%. E o gasóleo já pesa mais de 40% nos custos operacionais das empresas.

Comments are closed.