Desde Março de 2010, o frete líquido no FE-NE, no mercado spot, caiu 69% para -70 dólares/TEU. Uma situação sem precedentes que tenderá a agravar-se à medida que mais capacidade entra no mercado.

Na semana passada, sublinha a Alphaliner, o frete no mercado spot para o transporte contentores entre Xangai e o Norte da Europa era, de acordo com o SCFI, de 677 dólares/TEU. Uma queda de quase 20% relativamente ao verificado no final de Agosto.

O valor médio da BAF no FE-NE situa-se actualmente nos 750 dólares/TEU. Contas feitas, por cada TEU transportado, os operadores estarão a perder cerca de 70 dólares.

A situação é dramática e tenderá a agravar-se. Porque alguns operadores, os de maior dimensão, ainda não estarão a incorrer em tais perdas e, logo, estarão dispostos a manter a “guerra” de preços.

Segundo os cálculos da Alphaliner, e considerando um preço de 650 dólares/tonelada de fuel, o actual custo do combustível “per slot” numa viagem “round trip” entre o Extremo Oriente e o Norte da Europa situar-se-á nos 280 dólares, no caso de um navio de 13 000 TEU, e nos 370 dólares no caso de navios de 8 500 TEU. O que é cerca de metade da BAF, mas que só está ao alcance dos que têm estes navios.

A Alphaliner conclui assim que os maiores operadores – Maersk, MSC e CMA CGM – estarão a usar os seus menores custos unitários para continuarem a pressionar em baixa os fretes, numa tentativa de afastar os concorrentes de menor dimensão.

Facto é que este ano apenas se verificou uma retirada de 3,5% da oferta global de capacidade no FE-Norte da Europa.

A concorrência pela quota de mercado e a pressão em baixa dos fretes deverá intensificar-se nos próximos seis meses com a entrada ao serviço de mais e mais navios de 10 000 TEU, acrescenta a consultora parisiense.

Comments are closed.