A capacidade global da frota de portas-contentores mundial deverá crescer este ano apenas 7%, contra os 10% registados no ano passado, prevê a Clarksons.

A quebra é explicada pelos analistas com o abrandamento do ritmo de entregas dos estaleiros e com a política de retirada do activo de navios mais velhos prosseguida por muitos operadores.

A carteira de encomendas de novos porta-contentores totaliza o equivalente a cerca de 20% da capacidade actual no activo. Este ano, o calendário de entregas aponta para a entrada em serviço de 1,4 milhões de TEU. Um número que se repete para 2012. Mas a Clarksons estima que se ficará pelos 1,04 milhões de TEU efectivamente entregues este ano e 1,35 milhões no próximo.

No ano passado a frota mundial de porta-contentores cresceu 10%, mas poderia ter chegado aos 13-14% se 45% das encomendas não tivessem sido canceladas ou adiadas.

Ao mesmo tempo os armadores desmantelaram navios com uma capacidade global de 370 mil TEU, um recorde e que tornou o desmantelamento numa ferramenta mais de gestão da frota.

Para 2012, a previsão da Clarksons é para um crescimento da frota mundial de porta-contentores de 9%.

Note-se, todavia, que a cada ano que passa mais aumenta a base de cálculo, pelo que em números absolutos o aumento da frota tende a ser tanto ou mais significativo que nos anos transactos.

 

Comments are closed.