A frota mundial de porta-contentores deverá crescer este ano apenas 4,6%, o pior resultado da história da indústria, prevê a Alphaliner.

SInes - Maersk Line

Depois de, em 2015, ter acelerado 8,5%, com a entrada ao serviço do equivalente a mais de 1,7 milhões de TEU (um crescimento nominal recorde), a frota mundial de navios porta-contentores deverá receber este ano apenas 1,25 milhões de TEU. Ou menos, porque as dificuldades de armadores e estaleiros poderão ditar mais adiamentos ou cancelamentos de encomendas, antecipa a consultora.

Por outro lado, a retirada de navios porta-contentores do activo, nomeadamente para desmantelamento, deverá totalizar este ano os 350 mil TEU, em contraste  com os 192 mil TEU do ano transacto (dos quais 51 000 só em Dezembro),acrescenta.

A confirmarem-se estas previsões, o crescimento de 4,6% da frota mundial de porta-contentores será o pior resultado de sempre, muito abaixo do anterior mínino (5,5% em 2009), abaixo dos 10,3% de crescimento médio anual registado desde 1990 e a anos-luz dos 16% de 2006 e dos mais de 13% de 2007 e 2008.

Em termos nominais, a oferta de capacidade poderá crescer cerca de 900 mil TEU, o que é também um dos piores resultados da última década (pior só em 2009).

 

 

Comments are closed.