A frota inactiva de porta-contentores atingiu, em Julho, 269 navios, com uma capacidade acumulada de 906 167 TEU (4,5% da capacidade mundial disponível), de acordo com a Alphaliner.
MOL_EXCELLENCE

O resultado actual compara com os 127 navios e 345 916 TEU registados em igual mês de 2015. O que significa que, além de mais há navios de maiores dimensões imobilizados por falta de cargas.

A Alphaliner prevê que a má temporada alta e as perspectivas de menor procura de navios Panamax após a abertura do “novo” Canal do Panamá levem a capacidade acumulada da frota inactiva a passar a fasquia do milhão de TEU.

Seaspan Excellence  vendido para desmantelamento aos 13 anos

Sinal dos tempos, a Seaspan vendeu para desmantelamento o Seaspan Excellence (antes conhecido com MOL Excellence), um navio de 4 646 TEU, construído em 2003. Trata-se do navio mais novo alguma vez vendido para desmantelamento.

Segundo a vesselvalue.com, o navio terá sido vendido por 5,96 milhões de dólares (5,37 milhões de euros). A Seaspan comprou-o em Março de 2013 à MOL por 17,2 milhões de dólares (15,5 milhões de euros), o que significa que perdeu 11,25 milhões de dólares (10,3 milhões de euros) em pouco mais de três anos.

Segundo a corretora de navios londrina Braemar ACM, em 2016 já foram vendidos para desmantelamento 101 navios, com uma capacidade acumulada de 342 500 TEU. Aquele volume é, desde já, muito superior ao da totalidade de 2015, que foi 85 porta-contentores com uma capacidade acumulada de 187 500 TEU.

 

 

 

 

Os comentários estão encerrados.