A frota mundial de porta-contentores fechou 2015 com cerca de 5 200 navios, com uma capacidade total de 19,94 milhões de TEU, de acordo com a consultora Alphaliner.

UASC - Barzan

Pelas previsões da Drewry, demorará poucos meses a passar-se a fasquia de 20 milhões de TEU, apesar do excesso de oferta estar a levar os preços médios dos fretes para mínimos históricos. Esta consultora perspectiva que a frota mundial de porta-contentores cresça 5% a 6% nos próximos dois anos, muito acima da procura de serviços de transporte marítimo.

Em 2015, a frota cresceu 8,5% face ao ano anterior, naquele que foi o quarto ano consecutivo de subida e o maior crescimento anual da história. Os 214 navios acrescentados à frota mundial no último exercício acrescentaram 1,55 milhões de TEU, bem acima dos 1,35 milhões de TEU registados em 2006, ano do anterior recorde.

Por outro lado, houve menos desmantelamentos: foram abatidos navios com uma capacidade global de 150 000 TEU em 2015, contra 380 000 TEU no ano anterior.

Quadro-2
Capacidade média dos porta-contentores da frota mundial. Fonte: Drewry.

Como se não bastasse, os navios que chegam são cada vez maiores. Actualmente, 22% dos navios porta-contentores têm mais de 10 000 TEU de capacidade, quando em 2011 apenas representavam 4% da frota mundial.

Como resultado, o tamanho médio da frota mundial era, no fim de 2015, de 3 700 TEU, o dobro do registado no virar do século. Se olharmos apenas para as entregas efectivadas no ano passado, a capacidade média foi de 8 400 TEU.

Segundo a Alphaliner, 60 dos navios encomendados no ano passado (24% do total da carteira) têm entre 18 000 TEU e 22 000 TEU.

 

Comments are closed.