A China Merchants Port Holdings vendeu uma participação no terminal de contentores de Paranaguá (Brasil) a dois fundos estatais chineses, um deles focado nos mercados lusófonos.

A China Merchants Port anuncou a venda de 22,55% do Terminal de Contentores do Paranaguá (TCP), o maior do Brasil em capacidade instalada, ao Fundo China-América Latina e ao Fundo de Cooperação e Desenvolvimento China-Países de Língua Portuguesa, com sede em Macau.

A companhia chinesa, com sede em Hong Kong, não revelou o montante dos negócios. Em Setembro de 2017, quando comprou 90% do TCP, a China Merchants pagou 2,89 mil milhões de reais (620 milhões de euros).

Esta é a primeira vez que a China Merchants “junta investidores estratégicos aos seus terminais no estrangeiro”, referiu em comunicado. A entrada dos dois fundos estatais chineses permitirá “o desenvolvimento futuro da infra-estrutura portuária na América Latina”, de forma conjunta, acrescentou.

O terminal de contentores de Paranaguá tem uma capacidade de 2,4 milhões de TEU/ano, depois da expansão concluído no final do ano passado, diz .

O Fundo de Cooperação e Desenvolvimento China-Países de Língua Portuguesa, fundado em 2013 com acctivos no valor de mil milhões de dólares (898 milhões de euros), tem como missão investir nos mercados lusófonos. O Fundo China-América Latina foi criado em 2014, durante uma visita do Presidente chinês Xi Jinping ao Brasil. O accionista maioritário é o Banco de Exportação e Importação da China, com 60%, sendo as restantes acções da Administração Estatal chinesa de Divisas Estrangeiras.

Comments are closed.