Até ao final de Janeiro do próximo ano, o LNEC (Laboratório Nacional de Engenharia Civil) deverá concluir as avaliações técnico-operacional e económico-financeira do projecto do Metro do Mondego (MM).

Metro Mondego

O anúncio foi feito hoje, em Coimbra, pelo representante do Estado na assembleia geral da MM, e divulgado em comunicado do Ministério do Planeamento e das Infra-estruturas.

“O Ministério do Planeamento e das Infra-estruturas tem vindo a trabalhar com as várias entidades envolvidas, nomeadamente com as autarquias de Coimbra, Miranda do Corvo e Lousã, no sentido de encontrar a solução de mobilidade que melhor sirva as populações e que garanta a sustentabilidade económico-financeira do projecto”, diz o mesmo comunicado.

O estudo encomendado pelo Governo ao LNEC suportará as opções para uma eventual candidatura do projecto do MM ao co-financiamento por fundos comunitários.

O presidente da Câmara de Coimbra, Manuel Machado, afirmou aos jornalistas, no final da reunião, que espera que o estudo permita que “as várias entidades envolvidas fiquem cientes da importância desta operação e reúnam os mecanismos necessários à mobilização dos financiamentos indispensáveis”.

O autarca disse esperar ainda que o estudo do LNEC venha a tempo “de entrar nos estudos técnicos que já estão em elaboração para a reprogramação do Portugal 2020”. Caso contrário, será “adiado outra vez para as calendas e isso é intolerável”, enfatizou Manuel Machado.

Na assembleia geral da Metro do Mondego foi também aprovado um protocolo com a Câmara Municipal de Coimbra que permite desbloquear “o canal da Baixa” da cidade, de forma que a autarquia possa avançar com o projecto da via Central.

 

 

Comments are closed.