A aliança G6 anuncia para Setembro um aumento de a capacidade na rota Ásia-Mediterrâneo de 21%, quase 2 200 TEU por semana. Os analistas avisam que isso pode colocar mais pressão sobre os preços médios dos fretes, por não haver uma subida significativa da procura.

HMM_Dream

A Alphaliner dá nota que a rotação G6 EUM vai ter sete navios com capacidades entre 8 750 e 10 700 TEU substituídos por unidades de 13 000 TEU.

Seis desses sete novos navios (que estiveram afectos às suprimidas rotações Ásia-Norte da Europa 6 e 4 da G6 ) serão alinhados pela HMM. O sétimo porta-contentores será o OOCL Brussels, com capacidade para 13 208 TEU.

Segundo a Alphaliner, o serviço EUM será a sexta rotação Ásia-Mediterrâneo com navios de 13 000 TEU. A consultora indica que todas as rotas de alianças que passam pelos principais portos do Mediterrâneo operam navios com aquela dimensão, havendo mesmo casos de navios com capacidade de 15 000 TEU. Um desses é o UASC Al Jashrah, que faz escala em La Spezia.

Os preços spot no Ásia-Mediterrâneo caíram para valores inferiores a 200 dólares (180 euros) no início de Março, mas recuperaram desde então e a um ritmo superior ao da rota Ásia-Norte da Europa. Na semana passada, no “Shanghai Containerised Freight Index” o China-Mediterrâneo fechou com preços spot de 951 dólares (858,5 euros), enquanto as rotas para os portos do Norte da Europa ficaram pelos 932 dólares (841,4 euros).

 

Tags:

Comments are closed.