Depois de anos de abandono, por falta de interessados, a plataforma logística de Salvaterra-as-Neves tenta um novo fôlego, com mais um investimento público de 36 milhões de euros.

O acordo de investimento foi rubricado pela Autoridade Portuária de Vigo, pelo consórcio da Zona Franca de Vigo e pela Junta da Galiza, na presença da ministra do Fomento de Espanha, Ana Pastor.

Numa primeira fase prevê-se a urbanização de 71 hectares, com a realização de obras de terraplanagem, pavimentação, drenagem e captação e tratamento de águas, bem como as infra-estruturas de fornecimento de energia eléctrica.

Anunciada há mais de uma década com a ambição de ser a plataforma logística de referência do Noroeste Peninsular, e tendo chegado a ser considerada uma “ameaça” para o Norte de Portugal, a plataforma galega de Salvaterra-as-Neves, situada junto à fronteira portuguesa, na margem direito do rio Minho, defronte a Monção, permanece deserta.

Apesar disso, o Porto de Vigo, a Junta da Galiza e a Zona Franca já investiram mais de 100 milhões de euros no projecto.

Quando terminada, a plataforma de Salvaterra-as-Neves ocupará 300 hectares. Tem ligação à auto-estrada A-52 e ao eixo ferroviário Orense-Vigo, pretendendo assumir-se como um centro logístico para todo o Eixo Atlântico.

Comments are closed.