No espaço de duas semanas, duas companhias transitárias foram condenadas na Nova Zelândia por participarem em esquemas de concertação de preços na carga aérea.

Na semana passada, a Eagle Global Logistics (EGL) foi multada em 720 mil dólares. Agora foi a vez da Geologistics International ser condenada ao pagamento de 1,8 milhões de dólares.

O Supremo Tribunal da Nova Zelândia concluiu que a companhia, com sede nas Bermudas, concertou com outros agentes de carga aérea a cobrança de uma sobretaxa pelo desalfandegamento nos EUA das cargas enviadas por via aérea a partir da Nova Zelândia.

As autoridades criticaram duramente as práticas anti-concorrenciais dos agentes de carga aérea, lembrando o carácter essencial da carga aérea para o abastecimento e exportação de cargas da Nova Zelândia, por se tratar de uma linha mas por estar longe dos principais mercados de origem/destino das mercadorias movimentadas.

Em Outubro, a Geologistcs e outras cinco companhias transitárias foram multadas em perto de 700 mil dólares, nos EUA, também por práticas anti-concorrenciais.

Os comentários estão encerrados.