O grupo Getlink (ex-Eurotunnel) registou bons resultados financeiros no ano passado. A companhia admite, no entanto, que arrisca uma ligeira descida em 2019 devido ao Brexit.

As receitas da Getlink aumentaram 5% em 2018, para 1 079 milhões de euros, o EBITDA subiu 9% e o resultado líquido consolidado cresceu 16%, para 130 milhões de euros. O free cash flow aumentou para 16 milhões de euros.

Com base nestes números, o CEO da Getlink, Jacques Gounon, qualifica, sem surpresa, 2018 como um ano “excepcional do ponto de vista operacional e financeiro”.

Mesmo a Europorte, subsidiária do grupo especializada no transporte ferroviário de mercadorias, apresentou resultados positivos, aumentando o volume de negócios em 3%. Orgulha-se de ser “o único operador de transporte ferroviário de mercadorias rentável em França”.

O grupo Getlink reconhece, no entanto, que a situação política no Reino Unido gera incerteza, a qual provavelmente afectará a sua actividade em 2019. No entanto, a companhia diz-se preparada. “Trabalhamos em tudo o que será necessário fazer a 29 de Março à meia-noite”, indica Jacques Gounon.

A Eurotunnel, subsidiária da Getlink, já lançou a campanha #BrexitAndBeyond para clientes e autoridades.

O grupo planeia recrutar 100 trabalhadores temporários para acompanhar camiões que seriam perdidos devido aos novos procedimentos à saída do Reino Unido. No que diz respeito às mercadorias, a Getlink pretende favorecer os clientes em situação Brexit Ready, ou seja, os transportadores que tomaram as providências necessárias para estarem prontos em termos de novas formalidades.

 

Tags:

Os comentários estão encerrados.