O secretário de Estado dos Transportes admitiu, em Viseu, a possibilidade do Governo optar pela construção de uma nova linha ferroviária entre Aveiro e a fronteira, em vez de modernizar a Linha da Beira Alta, como previsto no PETI.

“Viseu passará a ter ligação ferroviária, independentemente da modalidade que for seguida. A decisão está tomada, está vertida no Plano Estratégico de Transportes e Infraestruturas e será uma realidade dentro deste Quadro Comunitário de Apoio”, garantiu Sérgio Monteiro.

Durante a cerimónia de inauguração das obras de requalificação do Aeródromo Municipal de Viseu, o governante realçou que falta agora discutir, do ponto de vista prático, “qual é a alternativa técnica”.

Na mesa está a ligação de Viseu à ferrovia através da melhoria/modernização da Linha da Beira Alta ou através de uma nova ligação entre Aveiro, Viseu e Vilar Formoso.

“Essa decisão será tomada do ponto de vista estritamente técnico e de impacto económico na região. A decisão será aquela que melhor servir os interesses da região, sem esquecer os constrangimentos orçamentais pelos quais o país tem vindo a passar e a restrição activa de não termos um envelope infinito do ponto de vista do Fundo de Coesão para a ferrovia”, esclareceu.

O PETI contempla um investimento de 900 milhões de euros na modernização da Linha da Beira Alta. A construção de uma nova via, interoperável e para tráfego misto, custará seguramente várias vezes aquele montante.

Contudo, dirigentes políticos e empresariais do Norte e Centro, juntamente com as comunidades portuárias de Leixões e de Aveiro e especialistas do sector ferroviário têm defendido as virtualidades da construção da nova linha, argumentando com o peso das duas regiões nas exportações nacionais.

Comments are closed.