O Governo admite a necessidade de novos aumentos nos transportes, mas recusa-se a comprometer-se com tal.

O ministro das Obras Públicas, Transportes e Comunicações reconheceu, na Assembleia da República, que os recentes aumentos nas tarifas dos transportes públicos já terão sido “comidos” pela subida dos preços dos combustíveis.

Questionado pelos jornalistas sobre a inevitabilidade de um novo aumento dos transportes, António Mendonça rejeitou comprometer-se dizendo que “há muitos factores que são imponderáveis e, portanto, não podemos assumir compromissos relativamente a essa matéria, nem que vão aumentar, nem que não vão aumentar”.

O que o ministro garantiu aos deputados da Comissão de Obras Públicas é que não estará em curso vaga de despedimentos nas empresas públicas do sector dos Transportes. O “Sol” avançou hoje que o Governo estará a preparar dois mil despedimentos – na CP, EMEF, CP Carga, Carris, STCP, Groundforce.

António Mendonça afirmou ainda que a tutela ainda não terá validado todos os planos de redução de despesas apresentados pelas empresas públicas do sector.

 

 

Comments are closed.