Os transportadores rodoviários de mercadorias foram hoje surpreendidos com o aumento imediato do ISP. Amanhã reúnem-se em Pombal e avisam que, assim, é cada vez mais difícil “controlar as hostes”.

França - Camiões

 

A portaria que fixa o aumento do ISP em seis cêntimos por litro de gasolina e gasóleo rodoviário foi ontem publicada em Diário da República e entrou hoje mesmo em vigor. O aumento, que desagrada aos transportadores rodoviários, está previsto na proposta de Orçamento de Estado para 2016.

“Tal é a urgência financeira do Estado que decide aplicar, sem qualquer discussão sobre o tema, [o aumento do imposto]. Sentimo-nos defraudados com o Executivo que nos representa, e são difíceis de controlar as hostes dos nossos associados”, sublinhou Gustavo Paulo Duarte, presidente da Antram, em declarações à “Lusa”.

“É uma afronta que o Governo está a fazer a todos os transportadores e à população em geral. O Governo quer destruir os transportadores, mas esquece-se de que são estes que levam o país para a frente”, comentou, por seu turno, Márcio Lopes, presidente da ANTP.

As duas associações têm agendada para amanhã uma reunião de transportadores em Pombal para auscultar o sector e decidir o que fazer. Gustavo Paulo Duarte garante que a Antram não tomará a iniciativa de apelar à paralisação, mas avisa que o estado de espírito dos transportadores não é o melhor e que, dadas as circunstâncias, é cada vez mais difícil “controlar as hostes”.

Mais contundente, Márcio Lopes, citado pela “Lusa”, vai avisando que os protestos vão endurecer. “Tínhamos algumas ideias de luta menos agressivas. Queríamos pedir uma audiência, para tentar negociar ou arranjar soluções para ajudar a nossa situação. As formas de luta vão ser repensadas e vão ficar mais duras, mais críticas”.

Pelo caminho, Antram e ANTP aconselham os seus associados a abastecerem em Espanha.

Baixa do crude “limita” aumento do gasóleo

A surpresa foi tanta que nem todos os postos de abastecimento conseguiram, já hoje, actualizar os preços para reflectirem o aumento do ISP.

Com o aumento do ISP em seis cêntimos/litro, o preço final do gasóleo sobe cerca de 7,5 cêntimos (à conta do IVA). Mas a evolução da cotação internacional do crude deverá ditar a baixa do preço do combustível, na próxima segunda-feira, na casa dos 1,5 cêntimos/litro.

A ser assim, o preço final do diesel deverá subir “apenas” cerca de seis cêntimos.

O Governo já disse que se o crude continuar a baixar poderá subir de novo o ISP, para compensar a perda de receitas. E na inversa admitiu equacionar uma redução do imposto no caso de uma alta do preço do petróleo.

No entretanto, a proposta de majoração dos custos com o combustível em sede de IRC não satisfaz os transportadores.

» Manifesto conjunto

 

Comments are closed.