O Governo decidiu alargar de 12 para 25 do corrente o prazo para a apresentação de propostas vinculativas de compra dos Estaleiros Navais de Viana do Castelo (ENVC).

De acordo com um despacho dos ministros das Finanças e da Defesa Nacional, citado pela “Lusa”, a prorrogação do prazo é justificada “atendendo ao volume de informação a analisar pelos potenciais investidores de referência” e aos “pedidos pelos mesmos efectuados”.

São quatro os candidatos convidados pelo Governo a apresentarem propostas definitivas à compra da quase totalidade do capital social dos ENVC (os trabalhadores têm reservada uma pequena tranche). Português, apenas o grupo Atlantic Shipbuilding, que já confirmou a intenção de ir até ao fim.

Em Setembro, a empresa, com sede em Lisboa, assumiu a gestão dos Estaleiros Navais do Mondego, na Figueira da Foz.

Os outros candidatos anunciados são a Volstad Maritime, da Noruega, a brasileira Rionave Serviços Navais e uma empresa russa desconhecida no meio.

Quem comprar os ENVC herdará a encomenda dos navios asfalteiros para a Venezuela, que garante trabalho até 2014, e também o activo representado pelo ferry Atlântida. Mas já não conta com o contrato para os navios logísticos da Armada, entretanto anulado.

Os comentários estão encerrados.