Afinal, não são 30 mas 59 os investimentos prioritários em infra-estruturas de transportes escolhidos pelo Governo para serem implementados nos próximos oito anos.

A novidade foi dada pelo ministro da Economia, Pires de Lima, em conferência de imprensa, depois de o Conselho de Ministros ter aprovado o Plano Estratégico de Transportes e Infra-Estruturas 2014-2020.

Os 30 projectos prioritários propostos pelo GT-IEVA, de um total de 85, implicavam um investimento global de 5,1 mil milhões de euros.

Os 59 investimentos eleitos pelo Governo sobem a fasquia para perto dos 6,1 mil milhões de euros. Os fundos comunitários deverão garantir cerca de 2,8 mil milhões de euros, o Orçamento de Estado e o Sector Empresarial do Estado 1,4 mil mihões e os fundos privados 1,9 mil milhões, prevê o Executivo.

A ferrovia concentrará a parte de leão dos investimentos (44%), seguida do sector marítimo-portuário (25%), do rodoviário (15%) e do aeroportuário (4%).

O plano de investimentos será agora apresentado a Bruxelas, sendo intenção do Executivo apresentar as candidaturas em Setembro próxim. Os fundos comunitários virão do Fundo de Coesão e do novo mecanismo financeiro CEF (Connecting Europe Facilities).

Ainda na conferência de imprensa, o secretário de Estado Sérgio Monteiro adiantou que a fusão entre a Estradas de Portugal e a Refer na Infra-estruturas de Portugal deverá mesmo concretizar-se.

A decisão deverá ser tomada ainda este mês, de modo a ser implementada no decurso do segundo semestre e ter impacte já em 21015, acrescentou, por seu turno, o ministro da Economia.

Comments are closed.