Como anunciado, o Governo já entregou no Supremo Tribunal Administrativo a resolução fundamentada à providência cautelar que “suspendeu” o processo de privatização da TAP. E quer receber amanhã as propostas melhoradas dos candidatos.

TAP-A330

A confirmação foi dada pelo ministro da Presidência, Marques Guedes, no final da reunião de hoje do Conselho de Ministros. Na conferência de imprensa, Marques Guedes tratou de desvalorizar os argumentos da Associação Peço a Palavra, autora da providência cautelar.

“Não vale a pena perder tempo com argumentos mais ou menos imaginativos de quem pretende travar a privatização da TAP”, afirmou.

Marques Guedes escusou-se a adiantar de que forma o Governo rebateu a fundamentação da providência cautelar interposta pela Associação Peço a Palavra, que refere a inexistência de um concurso público para a contratação de duas entidades independentes para a avaliação económico-financeira da companhia aérea, como prevê a Lei-Quadro das Privatizações.

O Executivo aposta tudo em prosseguir com o processo de privatização da TAP e, por isso, mantém a data de amanhã, até às 17 horas, como prazo limite para receber as propostas dos dois concorrentes. E ontem mesmo fez questão de sublinhar, pela terceira vez, que espera propostas “muito melhoradas”.

A Associação Peço a Palavra mantém, por seu turno, estar disposta a recorrer até às últimas instâncias, nacionais e europeias, para contestar a privatização da companhia aérea nacional.

Comments are closed.