A Associação Nacional das Transportadoras Portuguesas (ANTP) alertou ontem o Governo para o “grande descontentamento” dos transportadores rodoviários de mercadorias, e em troca recebeu a promessa de que o Executivo vai “olhar” para os problemas do sector.

O presidente da ANTP, Artur Mota, reuniu-se ontem com a equipa do chefe de gabinete do secretário de Estado dos Transportes, num encontro em que esteve em análise o acordo assinado há cerca de um ano, entre as associações de transportadores rodoviários de mercadorias e o Executivo, e que pôs termo a uma paralisação de dois dias.

“Chegámos à conclusão que temos de dar passos, nem que sejam curtos. O Governo entendeu finalmente que temos de dar passos para concretizar o memorando de entendimento”, disse Artur Mota à “Lusa”.

Um ano volvido, do acordo de 15 de Março apenas se concretizaram os descontos nas portagens. Os transportadores rodoviários de mercadorias continuam à espera da legislação laboral específica para o sector e da revisão do regime de contra-ordenações, entre outras medidas.

Para além da ANTP, também a Antram tem vindo a pressionar o Executivo no sentido de concretizar o acordado.

A reunião de ontem e a promessa deixada de “olhar” para os problemas da actividade é entendida como uma forma de travar o descontentamento dos camionistas e de evitar a repetição de paralisações.

Comments are closed.