A Grécia pondera vender participações maioritárias nos portos do Pireu e de Salónica para conseguir chegar a acordo com os credores e, desse modo, desbloquear os fundos de que precisa, de acordo com um porta-voz do governo, citado pela “Reuters”.

Porto do Pireu

O primeiro-ministro Aléxis Tsípras referiu, quando subiu ao poder, em Janeiro, que seria um crime vender interesses nacionais, mas a intransigência dos países da Zona Euro e do FMI estará a pressioná-lo a flexibilizar a sua posição.

Com efeito, depois de, no início de Abril, o ministro da Economia, Giorgos Stathakis, ter dito que Atenas não tinha planos para vender a sua participação de 67% no porto do Pireu, mas que iria procurar investidores para uma joint-venture, começa a haver sinais de mudança, numa altura em que a Grécia está numa corrida contra o tempo.

“A equipa de negociações pretende chegar a acordo com os credores e estamos dispostos a vender participações de 51% nos portos do Pireu e de Salónica”, afirmou o porta-voz do governo grego aos jornalistas, na terça-feira (dia 28). “Não está decidido, mas, para atingirmos um acordo, poderemos fazê-lo”, acrescentou.

Comments are closed.