O governo da Grécia pretende retomar a privatização de dez portos regionais, na sequência da vitória dos conservadores nas eleições legislativas de Julho de 2019.

Privatização abrangerá portos comerciais e turísticos

A lista de candidatos à privatização inclui os portos turísticos de Mykonos, Corfu e Heraklion, em Creta, mas também o porto comercial de Alexandroupoli, no Nordeste do país. Este porto está ligado por ferrovia à Europa Central e de Leste e tem um importante terminal de regaseificação de GNL.

Também os portos comerciais de Elefsina, 30 km a Oeste de Atenas, e de Lavrion, a Este da capital grega, estão entre as infra-estruturas a serem privatizadas. As duas rentáveis instalações são consideradas as portas da Grécia para Oeste. Os dois portos têm boas ligações aos portos italianos de Ancona, Brindisi, Bari, Veneza e Trieste.

Privatizações nos transportes

O Governo grego tem estado pressionado a vender parte dos seus activos para responder aos requisitos dos seus credores (os maiores são a União Europeia o e FMI).

Em Dezembro de 2015, 15 aeroportos regionais passaram para as mãos de um consórcio formado pela alemã Fraport e pela grega Copelouzoz.

Já em 2016, Atenas vendeu 67% do porto do Pireu à chinesa Cosco, que entretanto tem investido muito no seu crescimento.

Igualmente a operadora ferroviária pública TrainOSE foi vendida a um consórcio liderada pela Trenitalia.

 

Comments are closed.