O processo de privatização do porto do Pireu, suspenso há dois meses pelo novo governo grego, será relançado nas próximas semanas. Atenas espera encaixar 500 milhões de euros.

Porto do Pireu

O anúncio da retomada da privatização terá sido feito pelo próprio vice-primeiro ministro helénico, Yannis Dragasakis, citado pelo “China Daily”, no final de um encontro com o seu homólogo chinês, em Pequim.

A privatização do principal porto grego será uma das medidas concretas que o governo grego deverá apresentar em Bruxelas, no âmbito das negociações sobre a dívida helénica.

O “Wall Street Journal” avança que as autoridades gregas pretenderão encaixar pelo menos 500 milhões de euros com a privatização do porto do Pireu. Mas as privatizações não deverão ficar por aqui. A lista poderá incluir outos portos gregos, aeroportos regionais e, diz-se, a própria operadora ferroviária.

“Houve um ligeiro atraso, mas a privatização continua”, afirmou Dragasalis, em Pequim, justificando o compasso de espera com a mudança da administração que gere o porto do Pireu.

“Este mês ou no próximo, as propostas de oferta estarão concluídas. O projecto continua. Está na fase final. Todo o processo deverá estar concluído este ano”, adiantou o vice-primeiro ministro.

A chinesa Cosco, que já opera um terminal de contentores no Pireu, é apontada como a mais forte candidata à privatização de 67% do capital da administração portuária do porto que serve Atenas.

 

 

Comments are closed.