As exportações portuguesas de bens caíram 8,7% em Novembro, em termos homólogos, penalizadas pela redução das expedições do sector automóvel devido à greve dos estivadores em Setúbal.

Segundo o Instituto Nacional de Estatística (INE), as exportações diminuíram 8,7% (depois de terem subido 5,3% em Outubro), “devido à diminuição verificada no comércio intra-UE e no comércio extra-UE, sendo de destacar o decréscimo das exportações de material de transporte, maioritariamente de automóveis para transporte de passageiros, em 29,4% (contributo de -5,7 pontos percentuais para a taxa de variação homóloga do total das exportações de bens), que estará associado à greve dos estivadores no porto de Setúbal”.

Já as importações aumentaram 11,5% (5,4% em Outubro), com as importações de material de transporte a registarem um acréscimo de 21,3% (com um contributo de 3,4 pontos percentuais para a taxa de variação homóloga do total das importações), em resultado fundamentalmente da aquisição de  aviões, sinaliza o INE.

Em consequêmncia, o défice da balança comercial de bens totalizou 2 066 milhões de euros em Novembro de 2018, mais 1 157 milhões de euros que no mês homólogo de 2017.

Excluindo os combustíveis e lubrificantes a balança comercial atingiu um saldo negativo de 1 521 milhões de euros, o que corresponde a um aumento do défice de 1 036 milhões de euros em relação a Novembro de 2017.

Note-se que no entretanto, com o fim da paralisação do porto de Setúbal, foi acelerada a expedição dos veículos da Autoeuropa destinados aos mercados externos, pelo que se poderá esperar um acréscimo excepcional deste tipo de exportações nos meses de Dezembro de 2018 e, ainda, no corrente mês de Janeiro.

Comments are closed.