O SNMMP decidiu ontem o fim da greve dos motoristas. Mas as paralisações poderão regressar já amanhã, depois da reunião com a ANTRAM e o Governo.

 

O presidente do SNMMP anunciou ontem, no final de um plenário de três horas, o fim da greve dos motoristas de mercadorias perigosas iniciada na passada segunda-feira. A moção aprovada, porém, não poupou nas críticas à ANTRAM, pela intransigência negocial, e ao Governo, por ter alinhado com os patrões e condicionado o direito à greve com os serviços mínimos, a requisição civil e o recurso às forças armadas e de segurança.

Os representantes do sindicato vão agora reunir-se, amanhã, com dirigentes, num encontro aprazado para as 16 horas no Ministério das Infraestruturas, que continua a mediar o conflito. As hipóteses de sucesso são, porém, aparentemente, reduzidas.

A ANTRAM saudou a decisão de pôr termo à greve do SNMMP e reiterou a disponibilidade para negociar, desde que sem ameaças nem chantagens, e desde que as propostas sejam razoáveis, suportáveis pelas empresas.

Do lado do SNMMP, Pedro Pardal Henriques já disse que o sindicato quer mais do que a ANTRAM acordou com a FECTRANS e com o SIMM.

No plenário de ontem, realizado em Aveiras, os membros do sindicato dos motoristas de matérias perigosas já mandataram a Direcção para, em caso de intransigência da ANTRAM, convocarem novas greves, às horas extraordinárias, ao trabalho aos fins de semana e aos feriados.

Caso para dizer que se nada mudar até amanhã, o mais provável é que da reunião do Ministério das Infraestruturas saia um novo aviso de greve…

A greve dos motoristas, recorde-se, iniciou-se na segunda-feira, por tempo indeterminado, juntando o SNMMP e o SIMM, com o apoio, a Norte, do STRUN. Entretanto, na quinta-feira à noite o SIMM acordou com a ANTRAM reatar as negociações e terminou a greve. O STRUN mantém-na até amanhã, como inicialmente previsto.

Tags:

Comments are closed.