O Sindicato dos Estivadores, Trabalhadores de Tráfego e Conferentes Marítimos do Centro e Sul de Portugal emitiu hoje novo pré-aviso de greve, prolongando a paralisação que afecta o Porto de Lisboa até 21 de Janeiro.

Porto de Lisboa

No pré-aviso emitido a propósito, o sindicato dos trabalhadores portuários reitera as condições por que se regerá a recusa à prestação de trabalho portuário, e que vigoram desde o primeiro dia desta séria de paralisações, iniciada em meados de Novembro passado.

Ao mesmo tempo, o sindicato dos trabalhadores portuários emitiu um comunicado no qual responsabiliza a ETP Lisboa pela situação “caótica” que se vive no porto da capital, e que tem motivado o cancelamento de várias escalas, com o desvio de navios para outros portos nacionais ou estrangeiros, ou mesmo a suspensão das operações de armadores.

Segundo o sindicato, a ETP Lisboa estará a forçar as dificuldades operacionais em Lisboa ao não colocar em funções “cerca de 50 trabalhadores eventuais”, que estarão disponíveis para trabalhar e que, por não serem sindicalizados, nem estarão abrangidos pelo pré-aviso de greve.

O sindicato dos trabalhadores portuários tornou também pública uma carta enviada à Hapag-Lloyd a propósito das notícias sobre a mudança do armador alemão, de Lisboa para Leixoões.

 

Os comentários estão encerrados.