Os operadores portuários queriam o fim da greve ao trabalho suplementar; o SEAL recusou. Apesar do quase acordo sobre os precários, Setúbal continuará parado . . .

 

*** CONTEÚDO DE ACESSO RESERVADO. FAÇA LOGIN OU TORNE-SE ASSINANTE T&N ***