O vice-presidente do SNMMP desafiou, hoje, a ANTRAM a retomar as negociações amanhã. Mas a greve dos motoristas mantém-se.

“Queria lançar aqui um desafio público ao dr. André Almeida, à ANTRAM, para que amanhã [15 de agosto], às 15 hioras, possa estar na DGERT para falar connosco”, disse Pardal Henriques, em declarações aos jornalistas, em Aveiras de Cima.

O porta-voz do SNMMP desafiou, assim, os responsáveis da ANTRAM a sentarem-se à mesas das negociações, para encontrar uma proposta que agrade a ambas as partes para fazer terminar a greve.

“Cabe à ANTRAM dar um passo atrás para evitar o caos em Portugal. A tendência é piorar”, afirmou.

Para Pardal Henriques, se não houver entendimento, a responsabilidade do que poderá acontecer no futuro cabe ao Governo e à ANTRAM. O advogado pediu ainda aos governantes para terminar, com o que considerou ser “uma palhaçada”.

“A responsabilidade do que virá daqui para a frente cabe única e exclusivamente à ANTRAM, ao Governo e ao dr. André Almeida, que tem proferido expressões lamentáveis contra estes motoristas”, frisou.

Pardal Henriques garantiu que as negociações só decorrerão com o advogado presente e não com o presidente do Sindicato Nacional dos Motoristas de Matérias Perigosas (SNMMP), como a ANTRAM pretende.

Os motoristas de matérias perigosas e de mercadorias cumprem hoje o terceiro dia de uma greve por tempo indeterminado. O Governo impôs serviços mínimos e na segunda-feira decretou a requisição civil dos grevistas nas zonas mais problemáticas.

Comments are closed.