O volume de contentores em Gotemburgo caiu 22% no primeiro semestre, em relação ao mesmo período do ano passado, para o valor mais baixo de sempre. Os responsáveis do porto sueco atribuem o desempenho aos conflitos laborais que se arrastam.

APM-Terminals Gotemburgo

De Janeiro a Junho, foram movimentados em Gotemburgo 318 000 TEU, contra 405 000 TEU em igual período de 2016. A maior quebra foi notada em Junho, com um recuo de 60% face ao mesmo mês do ano passado.

Os volumes de contentores no porto estão, de acordo com a Autoridade Portuária de Gotemburgo (APG), ao nível de 2001. O CEO da APG, Magnus Kårestedt, atribui-o aos conflitos laborais, que vão já no segundo ano, entre a União Sueca dos Estivadores e a APM Terminals.

De acordo com Kårestedt, a disputa continuou apesar do facto de a APM Terminals ter assinado o acordo colectivo do sector. A situação já levou o governo sueco a tomar medidas e a lançar um inquérito para rever as regras do mercado de trabalho.

Outras cargas crescem

No que se refere a outras cargas, o cenário no maior porto da Escandinávia é mais animador e o primeiro semestre voltou a ser de crescimento.

O número de unidades ro-ro movimentadas de Janeiro a Junho foi de 291 000, mais 7% do que há um ano. Durante os primeiros seis meses do ano, 137 mil carros novos foram exportados ou importados, um aumento de 40% no correspondente período do ano passado, em grande parte devido ao sucesso da Volvo.

Os volumes no Porto da Energia também aumentaram (7%) quando comparados aos primeiros seis meses de 2016, revelam os dados da APG.

 

 

 

 

 

Comments are closed.