A Air France-KLM registou perdas operacionais de 181 milhões de euros nos primeiros nove meses de 2014, prejudicada pelos 14 dias de greve dos pilotos da Air France, em Setembro.

Os prejuízos de 181 milhões de euros de Janeiro a Setembro estão em linha com o mesmo período de 2013 (184 milhões), mas são um retrocesso face aos resultados dos dois primeiros trimestres de 2014, em que o desempenho financeiro estava no bom caminho.

De facto, só no terceiro trimestre aas perdas foram de 102 milhões de euros, quando em 2013, no mesmo período, atingiram os 84 milhões de euros.

A Air France-KLM refere em comunicado que, numa base comparável, ou seja, a taxas de câmbio constantes e excluindo o impacto da greve, o resultado operacional nos primeiros nove meses do ano teria melhorado 24 milhões de euros face ao período homólogo de 2013, e não três milhões de euros, como se registou.

No mesmo comunicado, o grupo de aviação comercial reafirma o objectivo de regressar ao “verde” em 2017, conforme previsto pelo plano Perform 2020, anunciado em Setembro.

O regresso ao equilíbrio operacional será conseguido, em boa parte, graças à redução da capacidade, com os 14 aviões cargueiros em operação no fim de 2013 a passarem para cinco no fim de 2016.

Entre Janeiro e Setembro, a AF-KLM Cargo reduziu a oferta de capacidade em 2,9%, enquanto a procura regrediu 2,2%, do que resultou um aumento da taxa de ocupação de 0,5 p.p. para 62,6%.

Em contrapartida, a tarifa média diminuiu 3,6% até aos 25,13 cêntimos ton-km. Resultado: o volume de negócios recuou 6% para os 1 967 milhões de euros.

Comments are closed.