Os três principais terminais de contentores do porto de Roterdão – Europe Container Terminals, APM Terminals e Rotterdam World Gateway – estão sob a ameaça de greves convocadas pelo sindicato FNV Havens em protesto contra possíveis despedimentos.

Port of Rotterdam

Para já estão anunciadas três paralisações de 24 horas em Dezembro e Janeiro, de acordo com a “Reuters”, a primeira das quais entre 9 e 11 de Dezembro.

Na origem das disputas está a crescente automatização dos terminais. Dois novos terminais de contentores altamente automatizados abriram há pouco tempo no Massvlakte, um dos quais o terminal-bandeira da APMT, o Massvlakte II. Estima-se que a automatização dos terminais leve à supressão de 700 a 4 000 empregos na movimentação de contentores em 2017.

Os trabalhadores daqueles três terminais, representados pelo FNV Havens, exigem garantias de que não haverá despedimentos nos próximos nove anos, um pedido recusado pelas administrações.

“As entidades patronais consideram que as exigências não são realistas”, afirma, citado pela “Reuters”, uma porta-voz do porto de Roterdão. A autoridade portuária tem mediado as conversações, que, entretanto, foram suspensas.

 

 

Comments are closed.