A Grimaldi pede regras de segurança mais rigorosas para as cargas ro-ro e contentores, depois de um segundo incêndio a bordo de um dos seus navios este ano.

O ro-ro Grande Europa sofreu na passada quarta-feira (dia 15) um incêndio ao largo de Maiorca, que obrigou à evacuação de 15 tripulantes. O incêndio foi combatido pelos serviços competentes espanhóis, tendo o navio acabado rebocado. As investigações preliminares da Grimaldi apontam para que o sinistro tenha começado em dois veículos veículos  embarcados, tendo-se depois propagado às viaturas próximas.

No rescaldo de mais este acidente, a Grimaldi  reclama, para a carga ro-ro, “mais controlo sobre as baterias dos automóveis, que muitas vezes causam curto-circuito a bordo dos navios, bem como nos terminais portuários”. Além disso, apela à “proibição total da presença de objectos pessoais em veículos em segunda mão, embarcados em navios ro-ro”.

No que diz respeito ao transporte de contentores, a Grimaldi insta a OMI a “tornar obrigatória a certificação, por uma sociedade de classificação, do correcto enchimento de contentores que transportam mercadorias perigosas”.

A questão da má declaração de cargas perigosas tem estado sob os holofotes após uma série de incêndios de carga em navios de contentores.

Em Março passado, o Grande América, carregado com cerca de 2 000 automóveis de luxo com destino à América do Sul, afundou junto à costa atlântica francesa, também vítima de um incêndio que foi impossível controlar.

 

 

 

 

Tags:

This article has 1 comment

  1. Helder Almeida

    A Grimaldi tem muita razão. A consolidação de cargas perigosas, de acordo com o IMGD Code, não poderia ser supervisionada por um perito devidamente credenciado que providenciaria um “atestado de boa estiva/consolidação” para ser entregue ao Comandante do navio antes da saída? é claro que isso custaria dinheiro; eu próprio pedi por diversas vezes em Antuérpia esse atestado (segregação) em navio de carga geral, serviço este pago pelo meu Armador/Operador.
    Quanto às baterias porque não desligar os pólos logo após o embarque dos veiculos motorizados? e porque não mais atenção ao peamento de todos os veículos?