Sete anos volvidos, a Groundforce retomou as operações no aeroporto de Faro, tendo como clientes as companhias da holding IAG.

Groundforce

No imediato, a companhia, detida pelo Grupo Urbanos e pela TAP, assegura a assistência aos passageiros dos voos da Airways, Iberia, BA City Flyer, Vueling e Aer Lingus.

Com o regresso a Faro, a Groundforce passa a estar presente em todos os aeroportos do Continente e da Madeira.

Para Paulo Neto Leite, o novo presidente executivo da Groundforce Portugal, “o regresso a Faro comprova a recuperação da empresa e a sua robustez. Temos uma estrutura sólida que nos permite voltar com confiança à operação e prestar um serviço de excelência similar ao que temos vindo a desenvolver nos Aeroportos de Lisboa, Porto, Funchal e Porto Santo”.

“Esta operação vai gerar, a longo prazo, cerca de 140 novos empregos e criar novas oportunidades para algumas das pessoas que ficaram sem os seus postos de trabalho em 2010”, reforça o CEO, citado em comunicado.

Foi em Novembro de 2010 que a Groundforce decidiu cessar as operações em Faro, justificando com os elevados prejuízos e as dificuldades em agilizar a gestão dos recursos humanos para os adaptar à maior sazonalidade das operações no aeroporto algarvio. Na altura, a Groudforce detinha uma quota de cerca de 35% no aeroporto. A sua saída afectou cerca de 300 trabalhadores e deixou a Portway como única operadora de handling.

Note-se que continua por concluir o concurso para a atribuição de licenças de operadores de handling lançado há anos pelo então INAC.

 

Os comentários estão encerrados.