O Grupo ETE carregou em pleno Tejo 55 900 mil toneladas, na maior exportação de sempre de clínquer da Cimpor.

O clínquer, produzido em Alhandra, foi carregado directamente do terminal fluvial da cimenteira, para bordo do Vinayak, fundeado ao largo no porto de Lisboa, com o recurso a 23 batelões/barcaças, três rebocadores e duas gruas flutuantes.

A operação prolongou-se por uma semana útil, um tempo recorde, e além dos ganhos económicos permitiu poupar 2 300 camiões nas estradas (cada barcaça transporta o equivalente a 100 camiões) e, logo, cerca de 53 toneladas de CO2.

A propósito de mais este sucesso, Luís Figueiredo, administrador do Grupo ETE, destacou “as condições únicas do porto de Lisboa e do rio Tejo que permitem que qualquer indústria localizada nas suas margens possa beneficiar dos ganhos de eficiência e das vantagens competitivas e ambientais entregues pelo modo fluvial à exportação das suas mercadorias por via marítima”.

“É fundamental reforçar a aposta na navegação fluvial do rio Tejo, em articulação com o desenvolvimento do Porto de Lisboa, para que as vantagens geoestratégicas ímpares deste sejam potenciadas e entreguem mais valor à economia portuguesa”, acrescentou.

O Grupo ETE tem em curso a construção de um porto fluvial em Castanheira do Ribatejo, que deverá servir como terminal de segunda linha aos terminais do porto de Lisboa, dali recebendo e para ali encaminhando contentores, transportados em barcaças.

 

Os comentários estão encerrados.