A Navaltagus apresentou hoje o Punta Tigre, um navio multifunções encomendado pela Transfluvial Navegación para as suas operações no Uruguai. Ambas as companhias integram o Grupo ETE.

O investimento no Punta Tigre rondou o milhão de dólares. O navio foi construído em apenas seis meses e representou um investimento a rondar o milhão de dólares.

Com 13,8 metros de comprimento e um deslocamento de 77 toneladas quando carregado, o Punta Tigre, um “workboat multicraft”, está equipado com dois motores e uma grua com capacidade de 1,3 toneladas, que  tornam capaz de operar como rebocador ou realizar operações de carga e descarga.

E é precisamente que vai fazer, ao serviço da Transfluvial Navegación, empresa do Grupo ETE que, no Uruguai, garante o abastecimento, por via fluvial, da Montes del Plata, apresentada como uma das maiores fábricas de celulose e pasta de papel do mundo, detida conjuntamente pela Stora Enso e pela Arauca.

A mais recente realização da Navaltagus é, para Luís Figueiredo, administrador do Grupo ETE, um exemplo da capacidade de inovação e tecnologia em construção naval de Portugal; significa também que somos uma referência internacional nesta área e que temos, como tal, todas as condições para criar valor para os nossos clientes, mas também para o país”, como disse na cerimónia de apresentação, que teve a presença da ministra do Mar.

A Navaltagus projecta e constrói embarcações de diversos tipos, como lanchas de pilotos, embarcações auxiliares, pontões, embarcações de passageiros, “workboats” e rebocadores. Actualmente está a construir um outro “multicraft” para a APDL.

A área de engenharia, construção e reparação naval do Grupo ETE integra dois estaleiros, nas duas margens do Tejo, assegurando 85 docagens anuais e diversos projectos de construção e reparação naval.

 

Comments are closed.