O “Raquel S”, com uma capacidade de 1 577 TEU, é o “novo” navio-almirante do Grupo Sousa e o maior detido por armadores nacionais.

O navio, anteriormente denominado”Windhoek” foi hoje mesmo inscrito no Registo Internacional de Navios da Madeira (MAR), depois de adquirido pela Empresa de Navegação Madeirense, empresa do grupo madeirense. O valor da transacção não foi divulgado.

Agora com bandeira portuguesa, o “Raquel S” será alinhado no serviço da PCI – Portusline Containers International (como foi recentemente rebaptizada a Portline Containers International) que liga Portugal, Marrocos, Canárias, Cabo Verde e Guiné-Bissau.

Construído no Japão, em 2009, com um comprimento de 172 metros e 27,6 metros de boca, o “Raquel” pode acomodar até 1 577 TEU, tornando-se assim o maior e o mais moderno navio porta-contentores detido por armadores nacionais.

Grupo sobe ao 91.º lugar  mundial

Com mais esta aquisição, o Grupo Sousa passa a operar com uma frota de sete navios porta-contentores (três próprios e quatro afretados), distribuídos pela PCI, ENM e Boxlines.

E com isso o grupo madeirense, o único português com presença no Top 100 mundial elaborado pela Alphaliner, sobe alguns lugares naquele ranking.

Com a incorporação do “Raquel S”, o Grupo Sousa passa a deter uma capacidade de transporte de 7 074 TEU e sobe, do 97.º lugar que ocupava no Top 100 para o 91.º.

Comments are closed.