Com a compra da Box Lines, o Grupo Sousa passa a deter uma quota de entre 40% a 50% do transporte marítimo de mercadorias entre o Continente e as regiões da Madeira e dos Açores.

Os grupos Sousa e Sonae já concretizaram o negócio de compra e venda da Box Lines – Navegação, S.A., por 10,5 milhões de euros.

A Autoridade da Concorrência, que tinha de pronunciar-se sobre a operação, decidiu não se opor à concentração por considerar que “ela não é susceptível de criar ou reforçar uma posição dominante, da qual possam resultar entraves significativos à concorrência”.

Certo é que, a partir daqui, o mercado das ligações entre o Continente e as regiões autónomas passa a ser dividido entre os grupos Sousa (EN Madeirense e Box Lines) e ETE (Transinsular e Vieira & Silveira), com a Portline como outsider, com a menor quota de mercado. No caso da Madeira há ainda a considerar a Naviera Armas.

Com o negócio, o Grupo Sousa passa a controlar mais de 40% do tráfego para a Madeira e entra directamente nos Açores e logo com uma quota de 30%. No caso da Madeira, considerando o excesso de oferta de capacidade e a recente aquisição do Funchalense para a EN Madeirense, é de admitir que a Box Lines deixe de operar o navio fretado que detém.

Comments are closed.