A GS Lines vai integrar a PCI, confirmou ao TRANSPORTES & NEGÓCIOS Pedro Frazão, administrador do Grupo Sousa.

O Grupo Sousa concluirá na próxima sexta-feira o processo de consolidação do seu negócio de transporte marítimo de contentores. A Portusline Container International, adquirida em 2015 ao grupo Portline, será oficialmente fusionada na GS Lines, “herdeira” da Empresa de Navegação Madeirense e que no entretanto absorveu a Boxlines (adquirida ao grupo Sonae em 2010).

A fusão foi confirmada ao TRANSPORTES & NEGÓCIOS por Pedro Amaral Frazão, administrador do Grupo Sousa. A operação justifica-se, disse, pelas “sinergias da marca comum nas linhas dos porta-contentores, temos clientes comuns à PCI / GS Lines”.

Em termos organizacionais haverá também vantagens com a “centralização. [A fusão] integra a estratégia de posicionamento do Grupo Sousa nos mercados onde opera e de optimização dos processos (instalação do SAP em curso)”, acrescentou.

A GS Lines / PCI assegura ligações directas para a Madeira e Açores, Espanha, Canárias, Cabo Verde e Guiné-Bissau, e para todo o mundo através de cross-trade. Recentemente, aumentou a oferta nos serviços Guiver, Alver e Marabeza, destacando-se “o trânsito mais curto, de 5 dias, com Cabo Verde, quatro vezes por mês”.

No ano passado o Grupo Sousa transportou mais de 145 mil TEU. Ou, como destacou Pedro Frazão, “um em cada cinco contentores no Porto de Lisboa são movimentados em navios do Grupo Sousa”.

Com a fusão, a GS Lines assumirá a 86.ª posição do Grupo Sousa no “top 100” dos operadores de transporte marítimo de contentores, com uma capacidade instalada de 7 122 TEU.

Comments are closed.