A Empresa de Navegação Madeirense, controlada pelo Grupo Sousa, adquiriu a Portline Transportes Marítimos Internacionais, “holding” que agrega a Portline Containers International e a Portline Bulk International.

Portline

Com esta aquisição, o Grupo Sousa, que em 2009 comprou a Boxlines à Sonae, reforça a sua posição nos tráfegos entre o Continente e as regiões autónomas (neste particular, a operação terá ainda de passar pelo crivo da Autoridade da Concorrência) e entra no mercado internacional de transporte de granéis.

No final do ano passado, a Portline já havia alienado ao (agora) Grupo TMB, de Sebastião Figueiredo, a Portmar e a Portline Logistics. Na altura, a venda do negócio do transporte marítimo de contentores, concentrado na PCI, chegou a estar sobre a mesa mas não se concretizou.

A criação da PCI (para os contentores) e da PBI (para os granéis) resultou de um processo de reestruturação interna da Portline Transportes Marítimos, que deixou de ter actividade operacional.

A PCI actua nos transportes para a Madeira e Açores e mantém a linha Guiver para a costa ocidental de Africa. A sua frota resume-se a dois navios, sendo que os serviços para as Ilhas são assegurados com navios de terceiros, em particular da Empresa de Navegação Madeirense.

A PBI gere uma frota de 12 navios graneleiros que actuam no mercado internacional. No início deste ano circularam rumores sobre uma possível venda de até cinco navios graneleiros, mas tal foi desmentido. Ao invés, a companhia tem previsto receber mais cinco navios de 61 000 e 63 000 DWT entre Janeiro de 2017 e Março de 2017.

A ENM é a mais antiga companhia de navegação portuguesa, actuando exclusivamente, pelo menos até agora, no tráfego entre o Continente e as Regiões Autónomas.

A notícia da compra da Portline pela ENM / Grupo Sousa foi avançada pela “TR”. O TRANSPORTES & NEGÓCIOS tentou contactar ambas as empresas. Sem sucesso até ao momento de difundir esta notícia.

Os comentários estão encerrados.